terça-feira, 19 de setembro de 2000

Divina

No ano 2000, o mundo não acabou, como muitos esperavam. Pelo contrário, foi ano de renovação.

As leituras que tanto já apraziam Pablo, foram reforçadas pelos estudos na nova matéria: Literatura.

O contato com poetas das mais diversas fases foram um especial estímulo, em um ano em que os poemas pululavam sob as mais variadas influências, de Gregório de Matos a Mário Quintana, de Camões a Fernando Pessoa, de Castro Alves a Augusto dos Anjos.

Um dos poemas que brotaram dessa efervescência foi "Divina".

Agora, o poema está à disposição no Literatura Errante. No Verso Errante.