quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Haikais I - Fobias e Sem Humildade

Num bar, amigos reunidos, jogam e bebem, e riem e se divertem. Uma prenda caiu no colo do poeta: escrever dois Haikais. O poeta pouquíssimo conhecia do gênero. Precisou pesquisar a respeito, e, quer saber? Gostou do que viu. Outros Haikais virão.

Agora, os poemas estão à disposição no Literatura Errante. No Verso Errante.

sábado, 28 de julho de 2012

O Inferno de Cada Um

Todos já ouviram falar no inferno, na danação eterna, no fogo e no calor. Dante Alighieri concebeu um inferno construído em círculos concêntricos, e dedicou cada círculo a um perfil de pecador ou pecado capital, onde os condenados iam sendo distribuídos conforme a gravidade e natureza de seus pecados.

Mas... E se o inferno não for o mesmo para todo mundo?

E, se, em vez de um lugar, o inferno for uma prisão pessoal, a que se aflige em castigo o próprio pecador? Se há um inferno para castigar ou aprisionar cada tipo particular de pecado, de erro, de mau feito, como será o de cada pecador? E como será o seu?

Seja bem-vindo ao terceiro texto da série O Inferno de Cada Um.

Veja esse e outros textos em Prosa Errante. E seja bem-vindo ao Literatura Errante!

terça-feira, 20 de março de 2012

Bom Dia!

Ah! Como é bom ser acordado carinhosamente! Fazer amor, então, é uma maneira excelente de se dizer Bom Dia!

Agora, o poema está à disposição no Literatura Errante. No Verso Errante.